MARANHÃO

BAIXO PARNAÍBA

BRASIL e Mundo

CORONAVÍRUS

Videos

Arquivo da página

Você está em

Presidente do Conass, Carlos Lula, prevê forte pressão sobre o sistema de saúde do país: 'Teremos seis semanas muito difíceis'

Ao G1, Carlos Lula, do conselho de secretários estaduais de Saúde, diz que há uma preocupação com a demora na expansão de leitos para a Covid-19 e que o Ministério da Saúde precisa prover insumos aos estados, como kit intubação, monitor e bomba de infusão.

Secretário de Estado de Saúde do Maranhão, Carlos Lula. — Foto: Márcio Sampaio

O presidente do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass) e secretário de Saúde do Maranhão, Carlos Lula, afirmou nesta quarta-feira (17), que prevê forte pressão sobre o sistema de saúde do país nas próximas seis semanas, devido ao aumento do número de internações por Covid-19.

Na terça (16), o Brasil registrou novo recorde de mortes por coronavírus: 2.798, segundo dados do consórcio de imprensa. UTIs estão lotadas em 24 estados e no Distrito Federal.

Ao G1, Carlos Lula explicou que a situação crítica nos hospitais do país pode se estender por todo o mês de março até as duas primeiras semanas de abril. Ele alerta que já há registro de mortes de pacientes com Covid-19, em filas de espera por leitos no sistema de saúde do país, principalmente na região Sudeste.

"Com o nível de ocupação dos leitos, que nós estamos tendo no atual momento, a gente começa a perder pacientes na fila. Isso tem acontecido, sobretudo, no sudeste do país, que são os maiores sistemas de saúde do Brasil. Essa situação ainda deve se agravar. A gente continua com o sistemas lotados, com a fila muito grande, eu acredito que nós teremos seis semanas muito difíceis, até meados de abril", disse.

O secretário disse que há uma previsão, de que nas próximas semanas, o estado de São Paulo possa atingir 100% de ocupação de leitos para Covid-19. Nesta quinta-feira, a ocupação geral de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) nas redes pública e privada chegou a 89,9% no estado e em 90,6% na Grande São Paulo.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) afirmou na terça-feira (16) que o Brasil passa pelo "maior colapso sanitário e hospitalar da história". O monitoramento divulgado pela instituição aponta que 24 estados e o Distrito Federal estão com taxas de ocupação de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do Sistema Único de Saúde (SUS) iguais ou superiores a 80%.

Além disso, 15 estados estão com taxas de ocupação de UTIs iguais ou superiores a 90%. Entre as capitais, 25 estão com taxas de ocupação das UTIs superiores a 80%; entre elas, 19 têm a taxa acima de 90%.

Para o presidente, a expectativa é que as internações e mortes por Covid-19 comecem a cair a partir do mês de maio, com o início da vacinação do público acima de 60 anos. Segundo Lula, esta é a faixa-etária da população que mais se interna, por conta de complicações causadas pelo novo coronavírus.

"A partir de maio eu acho que o número de óbitos vai cair consideravelmente. Porque a gente vai atingir um público para vacinar, que é o público que mais se interna, a população acima de 60 anos. Então, eu acredito, que até o final do mês de abril a gente vacine todo mundo nesse público ou acima disso, o número de internações de óbitos e internações deve cair", completou.

Aumento de leitos

O Conass diz que há uma preocupação com a demora na expansão de leitos para a Covid-19. O conselho afirma que neste momento, deve haver uma reunião entre todos os estados e uma atenção maior por parte do Ministério da Saúde, ao tentar prover esses insumos.

"E de outro lado, tentar expandir leitos. A gente precisa de uma reunião de todos, para expandir leitos e ver o que é indispensável nesse momento. Vai faltar kit intubação no país, vai faltar monitor, vai faltar bomba de infusão e o Ministério da Saúde tem que tentar prover isso", disse Carlos Lula.

Elogios ao novo ministro

Carlos Lula elogiou a escolha do presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Marcelo Queiroga, para Ministério da Saúde. Ao G1, nessa terça-feira (16), ele classificou o novo ministro como uma pessoa 'ponderada'.

“O doutor Marcelo Queiroga ele é amigo de muitos secretários. Ele é cardiologista, uma pessoa ponderada, uma pessoa que tem bom trânsito com todos os lados da política no país e parece que foi uma boa escolha. Eu espero que ele tenha sucesso na empreitada dele. Vamos esperar quais serão as providências que ele vai tomar”, disse Carlos Lula.

Antenor Ferreira

Jornalista chapadinhense, 33 anos, apresentador de rádio e TV, e redator dessa página. Obrigado por sua visita! Siga-nos no insta: @antenor.oficial

Nenhum comentário:

Participe! Deixe seu comentário

Fique na moda!

Fique na moda!
Avenida Presidente Vargas, Centro de Chapadinha/MA

Vamos ficar em forma?

Vamos ficar em forma?
Rua do Comércio - Centro, por trás do Armazém Paraíba

Nos Siga no Facebook

Mais lidas da semana