MARANHÃO

BAIXO PARNAÍBA

BRASIL e Mundo

CORONAVÍRUS

Videos

Arquivo da página


Em pronunciamento na tribuna da Câmara, o deputado Hildo Rocha destacou que o parlamento brasileiro precisa, urgentemente, fazer a Reforma Tributária. Para exemplificar os prejuízos causados pela falta de uma legislação tributária moderna, adequada ao século XXI, o parlamentar citou o desfecho de uma questão que se arrastava no STF há quatro anos. A decisão, de acordo com o parlamentar, retira 250 bilhões dos pobres para dar aos mais ricos do Brasil.

Trata-se do pedido de exclusão do ICMS da base de cálculo para apuração do PIS e da Cofins. A questão, que ficou conhecida no meio jurídico tributário como “a tese do século”, finalmente foi concluída pelo Supremo Tribunal Federal. A consequência imediata dessa decisão, de acordo com estimativa do Ministério da Economia, é a perda de R$ 258,3 bilhões.

Quem vai pagar o prejuízo? 

Hildo Rocha ressaltou que o governo será forçado a encontrar meios para recuperar os 250 bilhões de reais que serão devolvidos às empresas que pagaram tributos (PIS e Cofins) calculados com base no inclusão do valor do ICMS.

“Quem pagou esse tributo que agora será devolvido? Foi o consumidor. Só que o consumidor vai ter que pagar isso de novo. Ele não vai receber de volta, porque quem vai receber essa diferença do tributo cobrado a mais serão as empresas que entraram com as ações no Supremo Tribunal Federal. O consumidor vai pagar de novo. Por que ele vai pagar de novo? Porque para bancar os mesmos serviços que oferece ao cidadão o Governo Federal vai ter que aumentar outros tributos ou diminuir a qualidade ou a quantidade dos serviços públicos entregues ao cidadão”, argumentou.

Sistema tributário complexo e arcaico 

Hildo Rocha exemplificou citando a metodologia utilizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). A instituição deliberou que a diferença do tributo cobrado (diferença de PIS e COFINS), terá que ser abatida nas tarifas de energia.

“A Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL ) deliberou a favor dos consumidores determinando que a diferença recebida das geradoras e distribuidoras de energia tem que ser devolvida o equivalente em diminuição das tarifas de energia. Ocorre que outras empresas não farão da mesma forma. Por isso que os cidadãos e cidadãs vão ter que pagar novamente por um tributo mal cobrado. E por que isso acontece? Porque o nosso sistema tributário, principalmente no que incide sobre o consumo, é muito complexo, que cria grande insegurança jurídica e enorme injustiça fiscal e tributária”, explicou.

Sistema tributário perverso 

O parlamentar defendeu com veemência a necessidade de se promover uma reforma tributária urgentemente. “O sistema tributário brasileiro precisa ser modificado, precisa ser modernizado, pois só assim será possível evitarmos que situações como essa continuem acontecendo. Esses 250 bilhões de reais não vão para o cidadão simples. O cidadão que comprou arroz para comer foi quem pagou esse tributo, e esse dinheiro que ele pagou vai servir agora para enriquecer os donos de empresas, porque a diferença do tributo pago a maior pelo consumidor será entregue aos donos das empresas. Olhem o prejuízo que o povo brasileiro está tendo, isso vai aumentar as desigualdades sociais! O sistema atual é perverso pois permite que sejam tirados 250 bilhões de reais do pobre para dar para os ricos. Isso contribui para o aumentando as desigualdades sociais”, sentenciou Hildo Rocha.

Forças poderosas impedem o avanço da Reforma Tributária

De acordo com Hildo Rocha, existem forças poderosas, tanto no âmbito do governo federal como da Câmara dos Deputados, impedindo que as propostas de Reforma Tributária Constitucional que tramitam na Câmara avancem.

“Existem Deputados aqui, Sr. Presidente, inclusive membros da Mesa Diretora, que não querem que façamos justiça tributária. Vejam quem está contra a reforma tributária! Não coloquem esses Parlamentares de novo aqui! O grande trabalho que o eleitor pode fazer em 2022 é procurar saber quem está enganando a população, quem está retirando dinheiro do povo, quem está piorando os serviços públicos em favor do enriquecimento de alguns empresários. Esses Deputados se elegem com a força do povo, mas aqui defendem as grandes empresas e os bancos, contra o povo”, enfatizou Hildo Rocha.




O deputado federal Hildo Rocha fez a entrega de um cheque simbólico no valor de R$ 500 mil reais que serão investidos na conclusão das obras de reforma e modernização do Hospital Municipal Felipe Jorge, de São Bernardo. O deputado estadual César Pires também participou do ato, juntamente com o prefeito João Igor, o secretário de Saúde, Haroldo e os vereadores João Mãozinha, Presidente da Câmara Municipal; Alberto Capitão, vice-presidente da Câmara; Marcos Felipe, Primeiro Secretário; James da Mombaça, Segundo Secretário; Neguinho da Galinha; Débora Portela; Francisco do Diassis e Jailton Spindola e o líder político da Região do Baixo Parnaíba, Neto Carvalho.

Vistoria

Acompanhado do prefeito João Igor, Hildo Rocha e demais integrantes da comitiva vistoriaram a obra. O parlamentar destacou que as alas já reformadas ficaram excelentes. Hildo Rocha lembrou que há muito tempo o prefeito João Igor pretendia ampliar e modernizar o hospital público do município.

“Com muito esforço, com grande dedicação o prefeito conseguiu fazer boa parte da obra. Entretanto, os recursos do município são insuficientes para que o prefeito possa concluir a obra com a qualidade que a população deseja. Então o prefeito solicitou o meu apoio e eu tive a graça que Deus me deu de conseguir R$ 500 mil reais que serão repassados na modalidade Fundo a Fundo, ou seja, do Fundo Nacional de Saúde para o Fundo Municipal de Saúde. Esses recursos serão investidos na segunda etapa da obra. Dessa forma, em breve o Hospital Municipal Felipe Jorge estará totalmente modernizado para proporcionar mais conforto para os pacientes e melhores condições para que os profissionais da área possam trabalhar com mais conforto, prestar serviços mais eficientes e salvar vidas”, destacou Hildo Rocha.

Ajuda chega em boa hora

O prefeito João Igor ressaltou que o reforço de caixa chega em boa hora. “Nós apresentamos o orçamento para o deputado Hildo Rocha e, diante da realidade, diante da falta de recursos financeiros para a conclusão da obra, o deputado prontamente se comprometeu em colocar emenda para que possamos concluir essa obra tão esperada pela população. Portanto, é mais uma conquista importante da nossa administração alcançada graças ao apoio do deputado federal Hildo Rocha, um amigo da população de São Bernardo”, afiançou o prefeito.

Compromisso com a dignidade

O deputado estadual César Pires destacou que um dos diferenciais da gestão do prefeito João Igor é o foco no cuidado com as pessoas. “Somente gestores públicos sensíveis, que conhecem a realidade e as dificuldades da população, conseguem realizar obras com as que o prefeito João Igor tem realizado. É água para a população de baixa renda, é estrada para melhorar a vida da população que mora na zona rural, hospital para cuidar da saúde, da vida das pessoas. Dá gosto contribuir para tantas conquistas, dá gosto ver um gestor jovem tão dedicado, tão eficiente, tão trabalhador”, enfatizou César Pires.




 


Em pronunciamento na tribuna da Câmara, o deputado Hildo Rocha disse que recebeu graves denúncias contra o governo do Maranhão referentes a desvio de vacinas contra Covid-19. “Tenho recebido denúncias contra o governo do Maranhão no que diz respeito a distribuição de vacinas contra Covid-19 para os municípios maranhenses. Segundo os denunciantes, a Secretaria de Saúde do Estado estaria retendo parte das vacinas que foram encaminhados pelo governo federal para a imunização dos maranhenses. O que me deixou estarrecido é que as vacinas retidas estariam sendo usadas “politicamente” para promover o governador e seus aliados”, destacou Hildo Rocha.

O parlamentar maranhense acrescentou que depois de recebida as denúncias ele buscou informações a respeito da veracidade dos fatos e também buscou informações sobre a quantidade de vacinas contra Covid-19, que já foram entregues pelo governo federal ao Estado do Maranhão, e a quantidade de vacinas aplicadas.

“Fiz uma pesquisa e cheguei à conclusão de que o Maranhão já recebeu 3.437.900 doses das vacinas contra COVID-19. Foram aplicadas apenas 2.357.924 vacinas. Portanto, faltam ser aplicadas 1.074.976 doses”, enfatizou.

Maranhão no fim da fila

O deputado lamentou que no ranking nacional de vacinação contra Covid-19 o Maranhão esteja no fim da fila. Essa situação seria um forte indício de que as denúncias de desvio e de retenção tem sentido.

“No quesito vacinação contra Covid-19, infelizmente o Maranhão, continua no fim da fila, está no último lugar, acompanhado do Acre e do Amapá. E a questão é porque mais de um milhão de vacinas não foram aplicadas?”, questionou o parlamentar.

Falta transparência 

Segundo Hildo Rocha, pelas denúncias que ele recebeu, inclusive de servidores da Secretaria de Saúde, está faltando transparência no que se refere à distribuição das vacinas contra a Covid-19.

“Falta transparência por parte do Governo do Estado do Maranhão. Portanto, entendo que o Governador deve dar uma resposta à sociedade maranhense apresentando, de forma mais transparente, a distribuição das vacinas contra Covid- 19 para cada município” enfatizou o parlamentar.

Pedido de informações

Hildo Rocha ressaltou que fez um requerimento solicitando informações ao Governo do Estado sobre as denúncias recebidas. “Espero que o Governo responda às informações que solicitei para evitar que eu tenha que apresentar uma PFC (Proposta de Fiscalização e Controle), no âmbito da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados. Espero, obviamente, que o Governador Flávio Dino responda para que possamos explicar aos maranhenses por que alguns municípios deixaram de receber vacinas e outros acima da quantidade determinada pela média populacional”, enfatizou o parlamentar.

O deputado disse que diante da gravidade das denúncias é necessário que os prefeitos, os deputados estaduais, os vereadores e demais autoridades também questionem os motivos que levam o Governo do Estado a não obedecer o critério da proporcionalidade populacional na distribuição das vacinas.





Na tarde desta quarta feira (16) a Prefeita Vanderly Monteles cumpriu agenda em São Luís e dentre os seus compromissos esteve em reunião com Secretário de Educação Felipe Camarão, e na oportunidade usou suas redes sociais para comunicar a Construção de duas Escolas Dignas.

Ao lado do Secretário Felipe Camarão, Vanderly Monteles, muito feliz, anunciou a construção das duas Escolas Dignas uma no povoado morada Nova, e outra no povoado Capoeira, além da quadra de poliesportiva de tempo integral Isidório.
Na oportunidade a Prefeita convidou o Secretário de Estado Felipe Camarão para participar da formação continuada no início de julho em Anapurus, onde se iniciará o retorno às aulas presenciais no município.
Ao usar a palavra o secretário Felipe disse amigos e amigas de Anapurus em julho estarei aí ministrando a palestra inicial de nossa formação continuada da rede municipal. e o mesmo afirmou que junto com Vanderly dará início a construção de 2 Escolas Digna e da quadra Poliesportiva da Escola de tempo integral. (Isidório.)
"Anapurus está de parabéns pelo belíssimo trabalho da Prefeita Vanderly porque sem dúvida quem ganha é o Povo."

Do blog do George Silva 


Membro da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, o deputado Hildo Rocha conseguiu aprovar relatório e Projeto de Decreto Legislativo de sua autoria favorável ao Acordo de Cooperação com a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) que foi assinado em Paris, em junho de 2017. A OCDE se dedica à pesquisa e estudos para o aperfeiçoamento das políticas públicas nas mais diversas áreas e à troca de experiências entre países membros e parceiros.

Elevação ao status de país-membro

O Brasil mantém relações de cooperação com a OCDE desde a década de 90, individualmente e como membro do G-20. Em 2007, juntamente com Índia, China, Indonésia e África do Sul, o país foi alçado à condição de parceiro-chave da organização (key-partner). Entretanto, o deputado Hildo Rocha defende a elevação do Brasil à condição de membro da organização.

Os argumentos do parlamentar maranhense vão ao encontro do esforço que o governo federal tem realizado a fim de cumprir uma série de requisitos que incluem normas de governança, comércio, ciência e tecnologia, entre outras condições imprescindíveis para a consolidação dessa proposição.

Do conjunto de 246 normas da OCDE, o Brasil acaba de aderir a mais uma recomendação, consolidando assim o compromisso de alinhamento às melhores práticas do mundo na área de defesa da concorrência. O país aderiu ao recém-adotado instrumento legal sobre Neutralidade Concorrencial, que tem o objetivo de fomentar um ambiente de negócios de concorrência mais justa.

A Neutralidade Concorrencial deve abarcar, segundo a recomendação, todos os níveis de governo, estimulando a atuação coordenada da Administração Pública. O reconhecimento se conecta aos importantes avanços do Governo Brasileiro no aperfeiçoamento dos processos de compras governamentais e da gestão de empresas estatais, bem como a busca pela remoção de distorções no ambiente regulatório.

Com a aprovação da recomendação sobre Neutralidade Concorrencial, o Brasil completa 100 instrumentos aderidos, com mais de 40% de aderência ao acervo de normas da OCDE. Desde dezembro de 2019, já foram 35 novos instrumentos aprovados, o que evidencia o intenso processo de aproximação e convergência com os padrões e referências da Organização.

Fortalecimento da economia nacional e geração de empregos

O deputado Hildo Rocha destacou que a instalação do escritório da OCDE no País irá contribuir para a geração de empregos e mais riquezas para o País.

“As negociações comerciais ganharão um parceiro forte e imprescindível para que o Brasil gere mais confiabilidade, isso significa mais empregos e mais riquezas em nosso País. Portanto, é importante que o Brasil passe a figurar como país-membro da OCDE porque isso possibilitará novos investimentos com capital estrangeiro. Por isso, meu relatório que está disponível no sistema é a favor do acordo, assim como o projeto de decreto legislativo que também consolida o estabelecimento de escritório da OCDE no Brasil”, sentenciou Hildo Rocha.





Por meio de emenda parlamentar individual, o deputado federal Hildo Rocha assegurou R$ 500 mil reais para reforçar as ações de saúde pública do município de Matões do Norte. Para marcar a conquista, o prefeito Solimar Alves realizou ato público, com a presença de Hildo Rocha, vereadores e membros da equipe do governo municipal.

Também participaram do evento, os prefeitos Zé Martinho, de Cantanhede, e Fernando Cutrim, de Pirapemas. Na ocasião, Hildo Rocha fez a entrega simbólica dos 500 mil reais por meio de um cheque personalizado.

Governo eficiente

O deputado destacou que Solimar tem se esforçado muito para conseguir atender as demandas da população. De acordo com Hildo Rocha, isso tem exigido muita habilidade por parte do prefeito porque os recursos financeiros do município são insuficientes para arcar com todas as despesas.

Despesas com saúde são grandes

O parlamentar ressaltou que os recursos serão aplicados no pagamento de profissionais da saúde, na compra de remédios e combustível para o abastecimento das ambulâncias e dos carros que transportam os profissionais do Programa de Saúde da Família (PSF), entre outras despesas.

“As despesas no setor da saúde são grandes. Portanto, o prefeito precisa do apoio do governo federal e do governo do Estado. Estou aqui trazendo o apoio do governo federal por meio de emenda parlamentar de minha autoria para que Solimar possa reforçar o excelente trabalho que ele tem feito em poucos meses de administração”, explicou Hildo Rocha.

Hora de reconstruir

O prefeito Solimar Alves agradeceu ao deputado Hildo Rocha e enfatizou que os recursos conseguidos pelo deputado Hildo Rocha chegam em boa hora.

“Esse recurso veio em boa hora, é uma boa ajuda para que possamos ampliar e aprimorar a assistência no setor da saúde no nosso município.  Dessa forma, com o apoio do deputado Hildo Rocha, Matões do Norte vai se acostumando a receber boas notícias, uma atrás da outra. É hora de reconstruir, com compromisso e trabalho venceremos!”, proclamou Solimar Alves.

Administrador tarimbado, com vasta experiência na vida pública, Solimar Alves sempre adotou a máxima de que é impossível governar sozinho, desde a campanha eleitoral vitoriosa que o reconduziu ao terceiro mandato à frente de prefeitura de Matões do Norte, Solimar prega e defende a formação de uma forte, ampla e irrestrita rede de apoio político-administrativa em prol do desenvolvimento de Matões do Norte.

Sem se deixar prender por ideologias, siglas partidárias ou grupos políticos, vacinado contra o pernicioso bairrismo, usando muito jogo de cintura e toda cautela e perspicácia que lhe é peculiar, ao longo de pouco mais de cinco meses de governo, Solimar vem montando as peças deste grande quebra cabeça.

Os resultados desta campanha em defesa de Matões do Norte começam a aparecer, afinal quem planta colhe. Solimar recebeu na cidade o amigo e parceiro de Matões do Norte, o deputado federal Hildo Rocha (MDB), parlamentar municipalista que é base da rede de apoio a Matões do Norte.

Em tempos de recessão, falta de recursos e de grandes desafios e necessidades enfrentados a duras penas pelos prefeitos, Solimar marca mais um gol de placa. Boas parcerias são aquelas que produzem resultados positivos em favor do povo.

Hildo segue fazendo o que sabe fazer de melhor, ajudando os municípios parceiros a vencer e superar as muitas dificuldades. De mãos dadas com as bases Hildo avança com competência e seriedade.



O governador do Maranhão, Flávio Dino, anunciou por meio das suas redes sociais que a partir da próxima semana, o governo irá sortear prêmios para incentivar que as pessoas lembrem de tomar a segunda dose da vacina contra a Covid-19. Além disso, Flávio Dino solicitou que haja o devido registro pelos municípios no sistema do Ministério da Saúde.


O Governo do Maranhão tem realizado ações e campanhas para incentivar a aplicação da segunda dose da vacina. Fora isso, o governo tem atuado na região Metropolitana e nos municípios para acelerar o processo de vacinação da primeira dose.

Com informações do MA 10 


O deputado Hildo Rocha trabalhou pela aprovação do Projeto de Lei 823/2021 que estabelece medidas para ajudar agricultores familiares, pescadores e trabalhadores rurais durante o estado de calamidade pública relacionado ao coronavírus. Estão previstas medidas como benefício especial, recursos para fomento da atividade e prorrogação de condições para o pagamento de dívidas. A matéria será enviada ao Senado.

No substitutivo do relator, deputado Zé Silva (Solidariedade-MG), poderão ter acesso às medidas os agricultores e empreendedores familiares, os pescadores, os extrativistas, os silvicultores e os aquicultores.

Ajuda a quem mais precisa

Hildo Rocha justificou o voto favorável à aprovação do texto por considerar que se trata de socorro a quem mais precisa do apoio do Governo neste momento.

“Historicamente o MDB tem ajudado a agricultura familiar no Brasil. É do MDB a lei sobre aposentadoria especial que socorre os trabalhadores rurais, os pequenos empreendedores rurais. São do MDB várias leis que hoje beneficiam os agricultores familiares e os pequenos empreendedores rurais. Agora, por meio dessa nova lei, estamos possibilitando a criação de auxílio de 2.500 reais para cada família de agricultor familiar, além de outros benefícios que serão levados para o homem que trabalha no campo” argumentou Hildo Rocha.

Fomento emergencial

A proposta legislativa de iniciativa do deputado Pedro Uczai (PT/ SC) propõe apoiar a atividade produtiva durante a pandemia de Covid-19, criando o Fomento Emergencial de Inclusão Produtiva Rural, destinado a agricultores familiares em situação de pobreza e extrema pobreza durante a pandemia. Para receber o benefício no valor de R$ 2,5 mil (ou R$ 3 mil em caso de família monoparental) em parcela única, o agricultor terá de se comprometer a implantar todas as etapas de projeto simplificado de estruturação de unidade produtiva familiar, a ser elaborado por serviço de assistência técnica e extensão rural.

Principais requisitos

Os requisitos do auxílio aos agricultores são semelhantes ao do auxílio emergencial: não ter emprego formal; não receber outro benefício previdenciário, exceto Bolsa Família ou seguro-defeso; e ter renda familiar de até meio salário mínimo (R$ 522,50) ou renda familiar total de até três salários mínimos.

No cálculo da renda familiar, não serão contados os rendimentos obtidos por meio dos programas de apoio à conservação ambiental e de fomento às atividades rurais, previstos na Lei 12.512/11.

Pagamento do fomento

Os pagamentos deverão ser feitos por bancos federais com o uso de contas de poupança social digital, sem taxas e com proibição de usar os recursos depositados para quitar eventuais dívidas do beneficiado junto à instituição.

Caso o agricultor não tenha acesso a dispositivos digitais, poderá realizar o saque nas agências bancárias apresentando CPF e RG. Entretanto, o acesso ao benefício ainda dependerá de cadastro em plataforma digital se a pessoa não estiver cadastrada no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) do governo federal.

O texto deixa claro que o recebimento do auxílio emergencial ou desse benefício não faz o agricultor perder a condição de segurado especial perante a Previdência Social, cujas regras para acesso a seus benefícios são diferenciadas.

Assistência técnica

Os agricultores e pescadores contarão com ajuda do Serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) para elaborar um projeto simplificado de estruturação da unidade produtiva familiar.

Os órgãos desse serviço receberão da Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) R$ 100,00 por projeto elaborado, que poderá contemplar a construção de cisternas ou o uso de outras tecnologias sociais de acesso à água para consumo humano e produção de alimentos. Caso esteja prevista a construção da cisterna, o valor sobe para R$ 3,5 mil.




 O deputado federal Hildo Rocha se reuniu com o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), Marcelo Pontes, para tratar sobre liberação de recursos financeiros para municípios do Maranhão. Na ocasião, o parlamentar solicitou a liberação do pagamento de duas emendas impositivas de sua autoria que serão aplicadas na construção de duas escolas, uma em Buriticupu e outra no município de Fernando Falcão. Acompanharam o deputado, na audiência, os prefeitos Geraldo Braga, de Governador Edison Lobão, e Fernando Bermuda, de Campestre.

“Os gestores municipais de Governador Edison Lobão e de Campestre querem melhorar a rede municipal de ensino. Tanto o professor Geraldo, que é o prefeito de Governador Edson Lobão quanto Fernando Bermuda, prefeito de Campestre vieram comigo no FNDE para pedir diretamente ao presidente do FNDE, Dr. Marcelo Pontes, recursos para melhorar a educação pública dos municípios que eles administram”, destacou Hildo Rocha.

Desejo de ajudar

De acordo com o parlamentar, o presidente do FNDE demonstrou interesse em ajudar e apresentou aos prefeitos pendências de obras inacabadas de responsabilidade de gestões anteriores que tem que ser concluídas para que os municípios possam acessar novos recursos do FNDE, por meio do PAR 4.

Dever de casa bem feito

O presidente do FNDE, Marcelo Pontes, enfatizou que a iniciativa do deputado Hildo Rocha e dos prefeitos que participaram do encontro significa o cumprimento do dever de casa. “A reunião foi produtiva, a gente sai do encontro com o dever de casa realizado”, afirmou Pontes.

Governador Edison Lobão

Em relação às demandas de Governador Edison Lobão, Marcelo Pontes explicou que foi feito um levantamento meticuloso que possibilitou a obtenção de todas as informações do município. “Fizemos aqui um ‘Raio X’ do município, na área da educação, e saímos com bons encaminhamentos. Vamos nos esforçar a fim de que possamos apressar a solução das pendências do município de Governador Edison Lobão”, afiançou Braga.

Campestre do Maranhão

No que diz respeito às questões demandadas pelo prefeito Fernando Bermuda, o presidente do FNDE também afirmou que a intenção do órgão é firmar boas parcerias com o município. “Prefeito Fernando, conte sempre com o FNDE. Nós vamos fazer boas parcerias, durante a sua gestão, conte conosco”, enfatizou.

Os prefeitos Geraldo Braga e Fernando Bermuda, também saíram otimistas e agradeceram pelo interesse e pela boa vontade demonstrada pelo presidente do FNDE.

“Agradeço a forma carinhosa e respeitosa que fomos tratados pelo presidente do FNDE. A nossa administração quer resolver as pendencias, para isso, eu conto com o a ajuda da nossa equipe de governo do município e com o apoio do presidente da instituição, Marcelo Pontes”, comentou Fernando Bermuda, prefeito de Campestre.

O prefeito Geraldo Braga, de Governador Edson Lobão, disse que existem obras inacabadas que estão criando dificuldades para que o município possa conseguir realizar novos convênios com o FNDE.

“Mais uma vez, participei de uma rodada de diálogo em busca de soluções para os problemas da cidade de Governador Edison Lobão. Existe uma questão grave que é daquela tão falada creche. Além dessa questão, também temos demandas referentes a construção de escolas e de quadras esportivas. Estamos fazendo os encaminhamentos necessários para que possamos viabilizar essas e outras demandas da nossa população”, comentou Geraldo Braga, prefeito de Governador Edison Lobão.

O presidente do FNDE, Marcelo Pontes, garantiu ao deputado Hildo Rocha a liberação dos recursos financeiros das emendas que o parlamentar destinou para construir a nova escola do Leandro, em Fernando Falcão e a escola do Residencial Nova Buriticupu, no município de Buriticupu. Quanto ao pedido de ônibus para alguns municípios do Maranhão e recursos para a reforma e ampliação de escolas Dr. Marcelo Pontes ficou de analisar.




Atendendo requerimento do deputado Hildo Rocha, integrantes da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara dos Deputados realizaram nesta sexta-feira (11/06), visita técnica a agência do Banco do Brasil, no bairro do Cohatrac, que foi fechada recentemente. O ato teve como objetivo verificar o processo de fechamento de agências do maior banco estatal do País no Maranhão, debater acerca dos impactos causados por essa decisão e tentar reverter a situação.

O evento foi presidido pelo deputado Hildo Rocha. Também participaram do ato, os deputados Bira do Pindaré e Pedro Lucas; o Superintendente do Banco do Brasil no Maranhão, José Soares de Oliveira; a vice-prefeita de São Luís, Professora Esmênia Miranda (representando o prefeito Eduardo Braide); a Prefeita de Governador, Archer Professora Antônia Leide, (Representando a Famem); Marcelo Freitas, Diretor Executivo da Famem; vereadora Maria de Jesus, presidente da Câmara Municipal de Governador Archer); vereador Laércio Faray, de Viana; Antônio de Sousa Freitas vice-presidente da Associação Comercial e Eloy Natan Silveira Nascimento, Presidente do Sindicato dos Bancários.

A visita aconteceu em duas etapas. Primeiro, os parlamentares estiveram na agência do Cohatrac, onde ouviram reclamações de empresários e correntistas insatisfeitos com o fechamento da agência.

Transtorno e insegurança

O deputado Hildo Rocha destacou que o fechamento de agências do Banco do Brasil é extremamente prejudicial principalmente para pessoas idosas que recebem pensão e aposentadorias. “O fechamento de agências obriga as pessoas a se deslocaram para outros municípios a fim de receberem dinheiro. Isso cria dificuldades, gera despesas e insegurança porque as pessoas são obrigadas a transitar nas estradas transportando dinheiro isso contribui para o aumento dos assaltos, gera violência e acarreta grandes transtornos”, ressaltou o parlamentar.

Prejuízos econômicos

Ainda de acordo com Hildo Rocha, o fechamento de agências também afeta a economia. “Os impactos na economia são imensos porque muitos consumidores deixam de comprar no comércio local, e, dessa forma, com os negócios em dificuldades, empresários e comerciantes são obrigados a demitir funcionários. Portanto, o fechamento de agências do Banco do Brasil afeta toda a cadeia produtiva da economia local,”, argumentou.

Esperança renovada

O deputado Hildo Rocha enfatizou que tem esperança de que a diretoria da instituição reveja a decisão. “Depois dessa reunião, nossa expectativa, nossa esperança, é de que o banco reveja a posição, que o processo de fechamento de agências seja interrompido e que as unidades que foram fechadas, principalmente no interior do Estado sejam reabertas”, grifou Hildo Rocha.

Critérios técnicos

O Superintendente do Banco do Brasil no Maranhão, José Soares de Oliveira, explicou que o fechamento de agências obedece critérios técnicos que são estudados minuciosamente e mostrou números positivos acerca da atuação da instituição, no que diz respeito ao fomento das atividades do agronegócio, das micro e pequenas empresas e na especialização do atendimento, entre outros aspectos.

Deputado Hildo Rocha com José Soares de Oliveira, Superintendente do Banco do Brasil no Maranhão

“O Banco do Brasil se preocupa em cada vez mais empregar o melhor atendimento e evoluir na carteira de créditos que é isso que vai gerar empregos e renda no Estado do Maranhão”, afirmou Oliveira.

O Presidente do Sindicato dos Bancários, Eloy Natan, fez uma avaliação positiva acerca do esforço dos parlamentares maranhenses na luta em defesa do Banco do Brasil e dos usuários da instituição. O sindicalista enfatizou que o fechamento de agências impacta tanto os usuários quanto os funcionários porque estes são obrigados a atender uma demanda cada vez maior no mesmo período de atendimento.

“Muito importante a iniciativa do deputado Hildo Rocha, e demais parlamentares da bancada maranhense, no sentido de fiscalizar e mostrar as consequências nefastas do fechamento de agências do Banco Do Brasil aqui no Maranhão. Os clientes e usuários foram os principais impactados com o fechamento de agências. Os funcionários também são afetados porque acabaram tendo que fazer mais atendimentos como ocorre principalmente nas agências da Cohab e do Palácio dos Leões”, enfatizou Natan.



Vamos ficar em forma?

Vamos ficar em forma?
Rua do Comércio - Centro, por trás do Armazém Paraíba

Nos Siga no Facebook

Mais lidas da semana