MARANHÃO

BAIXO PARNAÍBA

BRASIL e Mundo

CRIMES

Videos

Cunhada de Eudilene dos Santos nega que ela tenha patrocinado aniversário, enquanto que marido afirma que a irmã e Tadeu são suspeitos do desaparecimento do bebê em Belágua

Antenor Ferreira 

O caso do desaparecimento do bebê Jhonatan Alves do Santos, no município de Belágua/MA, virou uma angustiante novela sem fim. A Polícia não consegue apontar o paradeiro a criança, enquanto que as famílias ligadas a mãe e o pai do menor, não se entendem e prosseguem acusando uma a outra. 

Ontem, 11, vinte dias após o desaparecimento do menor, publiquei imagens de Eudilene dos Santos, mãe do pequeno Jhonatan, feliz no aniversário do pai. Atitude que intrigou muita gente (Reveja). 

A mãe é tida como suspeita pela família do pai do bebê, Tadeu do Nascimento dos Santos, e pessoas que sempre estranharam o comportamento "frio" dela, perante a situação. 

Bom, hoje fui contactado por Jackeline Silva Farias, casada com o irmão de Eudilene, Uelbetim de Sousa Damasceno. Ela negou o suposto patrocínio da cunhada a festa de aniversário, bem como a presença de bebida alcoólica no evento. 
Jackeline e o sogro Valnider Damascena
Segunda ela, o que houve foi apenas uma pequena festa surpresa, com direito a um bolo de R$ 30,00 e mais dois refrigerantes, que custaram menos de 10 reais somados, comprados por ela, sem qualquer quantia ofertada por Eudilene. 
Jackeline confirmou que o evento aconteceu na localidade Piquizeiro, zona rural de Urbano Santos, mas nesta quarta-feira, 10, e que o único propósito foi levantar o ânimo do sogro, que segundo ela está bastante abalado, desde o sumiço do neto. 

Ela ressaltou que o momento contou com a presença apenas dela, o esposo, filha, da cunhada Eudilene, o homenageado e membros da família. Não havendo nenhum convidado. 
Da esquerda para direita o irmão de Eudilene e marido de Jackeline 

O marido de Jackeline, Uelbetim de Souza Damascena, também se pronunciou a nossa reportagem e atribuiu como suspeitos pelo sumiço do pequeno Jhonatan sua irmã, Eudilene, e o esposo, Tadeu, os quais segundo ele deveriam está presos até que a criança fosse encontrada. 

Ele disse que mesmo sendo sua irmã, não passará a mão em sua cabeça, caso seja culpada, reforçando que ela e o marido é que são os principais suspeitos, opinião que seria não apenas dele, mas de quase toda família. 
Uelbetim mostra ter dúvidas sobre inocência da irmã 

Antenor Ferreira

Jornalista chapadinhense, 33 anos, apresentador de rádio e TV, e redator dessa página. Obrigado por sua visita! Siga-nos no insta: @antenor.oficial

Nenhum comentário:

Participe! Deixe seu comentário

Internet de qualidade é com:

Internet de qualidade é com:
Essa uso e indico!

Clique na imagem e confira!

Nos Siga no Facebook

Mais lidas da semana

Ouça a rádio voz de arari!

Arquivo da página