MARANHÃO

BAIXO PARNAÍBA

BRASIL e Mundo

ELEIÇÕES 2020

Videos

Uma médica de Nova York que atendeu pacientes com o novo coronavírus se suicidou em Charlottesville, Virgínia, informou a Polícia em um comunicado. As informações são da Isto É.
Nós adoecemos, vocês adoecem' diz cartaz exibido em protesto de enfermeiros e outros profissionais de saúde no Centro Médico Jacobi contra condições de trabalho no Bronx, Nova York, 17 de abril de 2020 (Crédito: AFP)
Lorna Breen, de 49 anos, que chefiava o departamento de emergência do Presbyterian Allen Hospital em Manhattan, que recebeu grande fluxo de pacientes com Covid-19, morreu no domingo por ferimentos autoinfligidos.
Embora não estejam claras as motivações que a levaram ao suicídio, sua família, a polícia e seus colegas sugeriram que sua morte estaria relacionada com o estresse que os trabalhadores sanitários enfrentam no combate à pandemia do novo coronavírus.
A médica se encontrava na Virgínia, onde estava com a família.
“Ela tentou fazer seu trabalho e isso a matou”, disse seu pai, Philip Breen, ao jornal The New York Times.
Ele acrescentou que sua filha não tinha antecedentes de problemas de saúde mental e ela mesma tinha se infectado com o coronavírus e se recuperado.
“Os profissionais de saúde e os de primeiros socorros que estão na linha de frente não são imunes aos efeitos físicos ou mentais desta pandemia”, disse a chefe de polícia de Charlottesville, RaShall Brackney.
O presidente do colégio americano de médicos de emergência, do qual Breen era integrante, afirmou que sua morte é um lembrete trágico do sofrimento que estão atravessando muitos profissionais de saúde.
“A impossibilidade da situação em muitos dos nossos hospitais nos deixa profundamente feridos”, disse William Jaquis.
Mais de 17.300 pessoas morreram por Covid-19 no estado de Nova York, epicentro da pandemia nos Estados Unidos.
A Polícia Militar prendeu uma jovem por perturbação de sossego alheio ao realizar uma festa nesta terça-feira (28) em Camocim, no Ceará. Conforme os policiais que efetuaram a prisão, a mulher de 20 anos afirmou que celebrava a retirada dos R$ 600 do auxílio emergencial, ofertado pelo Governo Federal durante a pandemia de coronavírus.
Imagem meramente ilustrativa 
Conforme os policiais, no momento da prisão a suspeita chegou a questionar se não poderia “curtir em casa com o dinheiro do Governo”.
A organizadora da festa contrariou também o decreto em vigor no Ceará que proíbe o funcionamento do comércio não essencial e de aglomerações, incluindo festas particulares.
Denúncia de vizinhos
A festa em que a mulher foi presa ocorria no Bairro Cruzeiro, em Camocim. A polícia recebeu a denúncia de vizinhos, através do 190, de que uma residência estaria emitindo um barulho de música alto, através de caixa amplificada, e juntava pessoas ingerindo bebidas alcoólicas.
Conforme a Polícia Militar, agentes do Policiamento Ostensivo Geral (POG) foram até o local e encontraram a proprietária, que concordou em desligar o aparelho de som. Porém, momentos após a saída da viatura, novas denúncias foram feitas informando que a mulher voltou a ligar a caixa amplificadora, desta vez, em volume mais alto.
Os militares retornaram a casa e deram voz de prisão à mulher que, segundo o relatório dos agentes, argumentou que não estava fazendo nada de errado.
Ela foi levada à 3ª Companhia da Polícia Militar, em Camocim, e foi solta após assinar um termo circunstanciado de ocorrência (TCO) pelo crime de “perturbar alguém, o trabalho ou sossego alheios”. A pena é de prisão de 15 dias a três meses ou multa, em caso de condenação.
As informações são do G1 CE
O deputado federal Hildo Rocha ajudou a aprovar o PL 1.070/2020, do deputado Denis Bezerra (PSB-CE), que suspende temporariamente os pagamentos devidos pelos estudantes ao Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), em razão do estado de calamidade pública causado pela pandemia de covid-19. O Fies financia cursos de graduação para alunos de faculdades participantes inscritos no programa.
De acordo com o texto aprovado, um substitutivo do relator, deputado Moses Rodrigues (MDB-CE), terão direito à suspensão dos pagamentos os estudantes que estão em dia com as prestações do financiamento e aqueles com parcelas em atraso por, no máximo, 180 dias.
“O Deputado Moses Rodrigues fez um relatório primoroso, digno da grandeza do seu talento, da sua capacidade. Ele melhorou o texto do também cearense Deputado Denis Bezerra. Assim a proposta ficou ainda melhor. Portanto, em nome do MDB, voto a favor desse importante projeto”, enfatizou Hildo Rocha.
Durante a vigência de estado de calamidade pública no País, as mantenedoras das instituições de ensino superior (IES) poderão optar, mediante requerimento, pela suspensão do pagamento das parcelas não podendo esta opção importar em inscrição dos optantes como inadimplentes ou descumpridores de obrigações junto ao Fies.
O PL 1.070/2020 foi encaminhado para o Senado e deverá ser analisado nos próximos dias.
Veja o vídeo:

O governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou na noite de ontem, 29, que iria bloquear a Rua Grande, no centro da Capital maranhense. Segundo ele, o local “tem injustificadas aglomerações de pessoas”.
O Governador lembrou que, embora a taxa de ocupação de UTI na capital tenha caído para 79,87% com os novos 27 novos leitos entregues nesta quinta-feira, “infelizmente ” não “param de chegar pacientes de coronavírus”, completou ele.
Segundo o boletim divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde, SES, o Maranhão tem 3194 casos confirmados e 184 óbitos.
Durante os últimos dias a Rua Grande vinha aprensentando uma exagerada movimentação de pessoas, vídeos foram veiculados em redes sociais onde as pessoas caminhavam como se o Maranhão estivesse livre da Pandemia.
Veja vídeo registrado ontem na Rua Grande:
Com informações do Maiobão TV


Uma confusão entre um segurança de um supermercado e um homem que tentava entrar no estabelecimento sem máscara terminou na morte de uma mulher na tarde desta terça-feira (28), em Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba, segundo a Guarda Municipal (GM).
A GM informou que a mulher, que é funcionária do supermercado, foi baleada após a confusão entre os dois homens. Ela morreu no local. A Rede Condor lamentou o caso e disse que um funcionário da empresa e um segurança terceirizado foram agredidos pelo cliente. Leia a nota na íntegra mais abaixo.

Segundo a GM, o segurança do estabelecimento tentou impedir que o cliente entrasse no supermercado sem máscara. O uso do equipamento é obrigatório no comércio da cidade, segundo a Guarda Municipal, por causa da pandemia do novo coronavírus. Veja o vídeo acima.

A GM disse que houve luta corporal entre o segurança e o cliente, que antes agrediu um funcionário que ofereceu uma máscara a ele. Um primeiro disparo atingiu o cliente de raspão quando, segundo a guarda, ele tentou tirar a arma do segurança.

Na sequência, ainda em luta, o segurança atirou de novo, mas acabou atingindo a mulher, segundo a Guarda Municipal. O cliente que estava sem máscara ficou ferido e foi encaminhado para um hospital de Curitiba. O segurança envolvido no caso foi levado para a delegacia.

Assista: 
Ainda conforme a GM, o segurança trabalhava com uma arma calibre 38. Ele continuava preso até a última atualização desta reportagem. O segurança já prestou depoimento e deve responder por homicídio culposo, sem a intenção de matar, informou a Polícia Civil.

O cliente foi levado sob custódia da guarda ao Hospital do Trabalhador. Por volta das 22h, o homem chegou na delegacia para ser ouvido.

Segundo a polícia, ele pode responder por perturbação a organização de trabalho, duas lesões corporais, homicídio e violação a determinação do poder público pra evitar doenças contagiosas.

Com informações do G1 PR 
O presidente Jair Bolsonaro perguntou a uma repórter, na portaria do Palácio da Alvorada, o que quer que ele faça em relação às mortes por coronavírus no Brasil, que nesta terça-feira (29) superaram as da China, país de origem da pandemia.
Foto reprodução: TV Globo 
Nesta terça-feira, segundo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, o número de mortes confirmadas por covid-19, a doença provocada pelo coronavírus, ultrapassou a marca dos 5 mil, chegando a 5.017. Na China, são 4.643.

Durante a entrevista, uma jornalista disse ao presidente: “A gente ultrapassou o número de mortos da China por covid-19”. O presidente, então, afirmou:

“E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê? Eu sou Messias, mas não faço milagre", disse, em referência ao próprio sobrenome.

Momentos depois, na mesma entrevista, Bolsonaro disse se solidarizar com as famílias das vítimas. “Lamento a situação que nós atravessamos com o vírus. Nos solidarizamos com as famílias que perderam seus entes queridos, que a grande parte eram pessoas idosas”, disse.

“Mas é a vida. Amanhã vou eu. Logicamente, a gente quer ter uma morte digna e deixar uma boa história para trás”, disse o presidente.

Veja as declarações do presidente no vídeo abaixo: 
Questionado se conversaria com o ministro da Saúde, Nelson Teich, sobre a flexibilização do distanciamento social, Bolsonaro afirmou que não dá parecer e não obriga ministro a fazer nada.

O presidente também disse que ninguém nunca negou que a covid-19 causaria mortes no Brasil e que 70% da população será infectada.

“As mortes de hoje, a princípio, essas pessoas foram infectadas há duas semanas. É o que eu digo para vocês: o vírus vai atingir 70% da população. Infelizmente é a realidade. Mortes vão (sic) haver. Ninguém nunca negou que haveria mortes”, disse.

Exames

O presidente também foi questionado sobre decisão judicial que deu ao jornal “O Estado de S. Paulo” o direito de ter acesso resultados dos testes de coronavírus aos quais se submeteu. Segundo o presidente, os dois exames resultaram negativo.

Bolsonaro disse ter o direito de não mostrar os resultados dos testes.

“Vocês nunca me viram aqui rastejando, com coriza. Eu não tive [a doença], pô. E não minto [...]. Da minha parte, não tem problema mostrar. Mas, agora, eu quero mostrar que eu tenho o direito de não mostrar”, afirmou.
Antenor Ferreira 

Preocupado com a repercussão de uma fake news que prega o "lockdown", bloqueio total da ilha de São Luís, o governo do Maranhão emitiu nota, onde desmente a polêmica. Veja: 
Palácio dos Leões, sede do governo do Maranhão 
"O Governo do Maranhao informa que são falsas as notícias difundidas em grupos de WhatsApp sobre decretação, nesta quinta-feira, de lockdown (bloqueio total) em São Luís. Ainda não há qualquer decisão sobre o tema. Se e quando houver, será divulgada nos canais oficiais".

Segundo o último boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (SES), o Maranhão possui até o momento 2.804 pessoas infectadas pela Covid-19. 

Os casos estão divididos em 71 municípios. O número de casos suspeitos saltou para 7.232 e foram descartados 4.099 casos.
Whindersson Nunes e Luísa Sonza usaram as redes sociais nesta quarta-feira (29/04) para anunciar que estão separados. O humorista e a cantora publicaram um texto no Instagram para comunicar o fim do casamento aos seguidores. As informações são do Metrópoles 
“Bom, nem sabemos como explicar isso pra vocês… Nós dois sempre fomos um casal inspiração pra muita gente, e sabemos o peso que temos na vida de muitas pessoas, mas, precisamos, nesse momento, fazer com que vocês entendam que nem sempre o amor existe só quando existe casamento. A gente teve uma vida linda como casal e arriscamos dizer que quase perfeita, tão perfeita a ponto de entendermos que existe um momento que é preciso parar pra não estragar o que foi realmente tão lindo. Decidimos não ter mais uma vida de casal, mas jamais terminar nosso ‘relacionamento'”, escreveu o ex-casal.

“Estamos nos separando pra maioria das pessoas. Mas a verdade é que só estamos terminando uma fase, acabando sim um casamento, mas jamais o amor, carinho e respeito um pelo outro. Nos amamos e admiramos muito e se inspiramos um no outro a ponto de entender que as vezes a gente precisa parar. Pensamos bastante na nossa decisão e decidimos terminar nosso casamento pra poder continuar tendo um relacionamento saudável, com parceria, amizade, respeito, admiração e muito amor. A gente aprendeu muito, se ajudou muito e agora precisamos seguir nossos caminhos sozinhos. Não precisam tentar procurar um motivo maior, pois não existe. A gente sabe que a partir de agora vão inventar centenas de motivos diferentes, mas a única verdade é essa: a gente cresceu, mudou, evoluiu, e seguimos caminhos diferentes, pelo menos por agora. E é só. E não, não desistam do amor, jamais, só entendam que o amor pode ser maior do que a gente imagina, a ponto de saber o que é melhor pro amor continuar vivendo. Com amor, Whindersson e Luísa”, finalizou.

Recentemente, os dois rebateram notícias de que o casamento deles estaria “por um fio”. Na ocasião, os dois afirmaram que o distanciamento entre eles era por conta das agendas atribuladas dos dois. Whindersson e Luísa se casaram em fevereiro de 2018, em Alagoas.
Em consonância a Lei Federal 13.987/2020 que autoriza, em caráter excepcional, a distribuição imediata da merenda escolar, em razão da situação de emergência por conta da pandemia da Covid-19, a Prefeitura de Urbano Santos, por meio da secretaria de educação, iniciou, nesta quarta-feira (29/04), a entrega de mais de 03 mil kits de merenda escolar para famílias de alunos matriculados na rede municipal de ensino do município.
Garantindo a alimentação aos estudantes, a medida insere-se no conjunto essenciais adotadas pela prefeita Iracema Vale durante o período de paralisação das aulas presenciais por conta do combate ao coronavírus. As entregas dos kits da merenda escolar estão sendo feitas nas escolas da sede e zona rural.
De acordo com a secretaria de educação os profissionais como professores, agentes administrativos, gestores e demais envolvidos na entrega passaram por orientação para seguirem medidas de segurança, como uso de máscaras e álcool em gel e determinar uma distância de pelo menos um metro nas filas. Além desta ação a prefeitura de Urbano Santos já entregou para mais de 14 mil cestas básicas às famílias carentes na sede e zona rural.
Mais fotos da entrega:
As informações são do Aconteceu Virou Notícias
O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), suspendeu a nomeação de Alexandre Ramagem para a diretoria-geral da Polícia Federal. A decisão é liminar – ou seja, provisória – e foi tomada em ação movida pelo PDT.

"Diante de todo o exposto, nos termos do artigo 7º, inciso III da Lei 12.016/2016, DEFIRO A MEDIDA LIMINAR para suspender a eficácia do Decreto de 27/4/2020 (DOU de 28/4/2020, Seção 2, p. 1) no que se refere à nomeação e posse de Alexandre Ramagem Rodrigues para o cargo de Diretor-Geral da Polícia Federal", escreveu Moraes no despacho.Ramagem, que é amigo da família Bolsonaro, foi escolhido pelo presidente da República para chefiar a PF, em substituição a Maurício Valeixo.

A demissão de Valeixo por Bolsonaro levou à saída do então ministro da Justiça Sergio Moro, que acusou o presidente de tentar interferir politicamente na Polícia Federal.

Na decisão em que suspendeu a nomeação, Moraes cita as alegações de Moro, e afirma que, em tese pode ter ocorrido desvio de finalidade na escolha de Ramagem " em inobservância aos princípios constitucionais da impessoalidade, da moralidade e do interesse público."

Moraes ressalta as afirmações do ex-ministro da Justiça que dão conta de que Bolsonaro queria "ter uma pessoa do contato pessoal dele” no comando da PF, “que pudesse ligar, colher informações, colher relatórios de inteligência”.

A proximidade de Ramagem da família Bolsonaro vinha causando contestações à escolha dele para chefiar a PF, para qual entrou em 2005.

A relação com o presidente e os filhos dele começou na eleições de 2018, quando Ramagem chefiou a equipe de segurança do então candidato Bolsonaro.

Na réveillon de 2019, Ramagem foi fotografado em festa ao lado do filho do presidente Carlos Bolsonaro, que é vereador do município do Rio de Janeiro.

As informações são do G1
Durante live promovida pela Confederação Nacional dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias (CONACS), coordenada por Hilda Angélica, presidente da entidade, com a participação do deputado federal Hildo Rocha, o parlamentar maranhense discorreu sobre projetos de leis que tramitam atualmente na Câmara dos Deputados que criam adicional de insalubridade para os ACS e ACE.
Rocha, que é o presidente da Frente Parlamentar dos Agentes Comunitários de Saúde da Câmara dos Deputados, levou ao conhecimento da categoria que apresentou requerimentos de urgência, para serem analisados diretamente pelo plenário, os principais projetos de leis que tratam sobre o adicional de insalubridade.
Hildo Rocha destacou que por se tratar de propostas que versam sobre o mesmo tema todos os projetos poderão ser apensados ao PL 1402/2020, do deputado Luiz Nishimori (PL-PR), que determina direito a adicional de insalubridade em grau máximo, que é de 40%, a todos os Agentes de Saúde e Agentes de Combate às Endemias, envolvidos nas ações de combate ao novo coronavírus, por ter sido o primeiro a dar entrada na mesa da Câmara dos Deputados.
“O trabalho realizado pelos Agentes Comunitários de Saúde e os Agentes de Combate às endemias é extremamente importante e, diante da grave crise sanitária, que hora vivenciamos, o papel desempenhado por esses profissionais torna-se ainda mais relevante e muito mais perigoso agora do que em tempos normais. Então, apresentei o requerimento a fim de que possamos aprovar, com a máxima brevidade, as propostas que melhoram as condições de trabalho desses profissionais. O pagamento do adicional de insalubridade é justo. Se eles fossem celetistas já estariam recebendo um acréscimo de 40% no seus salários a título de adicional de insalubridade”, argumentou Hildo Rocha.
Orçamento de Guerra
O parlamentar enfatizou que apesar das propostas criarem novas despesas para o Governo Federal, gerando impacto financeiro sem previsão legal, essa questão pode ser contornada por meio da alocação dessas despesas no Orçamento de Guerra que já está praticamente aprovado, por meio da PEC 10/2020, proposta quede verá ser votada na Câmara, hoje.
“Lógico que as propostas aumentam despesas para o Governo Federal que não estão previstas no orçamento de 2020, mas podemos contornar essa barreira legal incluindo essas despesas dentro do Orçamento de Guerra previsto na PEC 19/2020, que deverá ser aprovada hoje. Portanto, por se tratar de gastos voltados para o combate à pandemia do coronavírus esses gastos se enquadram perfeitamente no Orçamento de Guerra”, explicou o deputado.
PEC 22/2011
Rocha falou também acerca da tramitação da PEC 22/2011 que dispõe sobre o reajuste salarial anual dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de combate às endemias. A proposta trata também da política de valorização daqueles profissionais. De acordo com o parlamentar, assim que a situação se normalizar a PEC deverá ser pautada.
“Precisamos aprovar essa PEC, idealizada pelo deputado Valtenir Pereira (MDB-MT), a fim de que possamos proporcionar segurança jurídica e resolver a questão do reajuste salarial da categoria. A proposta já está pronta para ser votada em plenário. Acredito que após o fim da crise sanitária avançaremos nesse debate”, afirmou.
Equipamentos de Proteção Individual (EPIs)
Hildo Rocha destacou ainda que logo no início da crise do coronavírus ele solicitou ao Ministro da Saúde a realização de capacitação dos ACS e dos ACE para o trabalho de combate ao coronavírus.
“O trabalho exercido pelos agentes comunitários de saúde e os agentes de combate às endemias, nesse grave momento de crise sanitária, é extremamente importante. São eles que diariamente estão em sintonia com a população realizando as ações de promoção da saúde e fazendo a prevenção das doenças. Logo, é necessário que eles estejam bem equipados e treinados para as atividades específicas exigidas por essa nova realidade que se impõe no nosso país”, declarou.
Rocha disse que é inadmissível que a categoria seja obrigada a comprar os seus próprios Equipamentos de Proteção Individual. “Esses equipamentos devem ser entregues pelo governo. Infelizmente, em razão da grande demanda mundial, os pedidos ainda não foram entregues. Infelizmente os agentes estão se expondo a riscos porque trabalham sem as condições adequadas, isso é temeroso. Vou levar todas essas demandas ao presidente Jair Bolsonaro, vou reforçar os pedidos já feitos por mim ao Ministério da Saúde. Esses equipamentos de proteção tem que chegar até os agentes comunitários de saúde e de combate às endemias”, afirmou Hildo Rocha.
Agradecimento e confiança
Falando em nome da categoria, a presidente da Conacs, Hilda Angélica agradeceu ao deputado Hildo Rocha pela participação na live e por tudo que o parlamentar maranhense já fez em defesa dos agentes de saúde e agentes de combate às endemias.
“Deputado Hildo Rocha, o seu mandato foi e continua sendo importante para a nossa categoria. Nós continuamos necessitando do seu apoio e acreditamos que você continuará trabalhando em prol das nossas causas”, disse Hilda Angélica.
Tramitam atualmente cinco projetos sobre o tema
PL 1402/2020 que altera a Lei n° 11.350, de 5 de outubro de 2006, que dispõe sobre a concessão de adicional de insalubridade aos Agentes Comunitários de Saúde e aos Agentes de Combate às Endemias.
PL 1910/2020 que institui o Adicional de Insalubridade Extraordinário de Combate ao COVID-19 aos Agentes Comunitários de Saúde e aos Agentes de Combate às Endemias durante o estado de calamidade de saúde pública, e dá outras disposições.
PL 1573/2020 que prevê gratificação extraordinária para os Agentes Comunitários de Saúde e dos Agentes de Combate às Endemias durante as ações de combate ao coronavírus, enquanto durar a pandemia.
PL de Iniciativa popular que altera a Lei Nº 11.350/2006, proposta que também estabelece o recebimento automático do grau máximo de Insalubridade a todos os Agentes de saúde do Brasil, na situação de Epidemias ou Pandemias decretado pelo Governo Federal.
PL 1744/2020 que dispõe sobre o pagamento do adicional de insalubridade no percentual de 40% a todo trabalhador da saúde cujas instituições em que trabalham estejam vinculadas ao atendimento de pacientes infectados pelo coronavirus.
Assista o vídeo da transmissão:

Segundo informações divulgadas na tarde desta terça-feira (28/04) pelo Ministério da Saúde, o Brasil já chegou a 5.017 mortes por coronavírus, ultrapassando a quantidade de óbitos pela doença registrados na China, epicentro mundial da epidemia — são 4.633 falecimentos no país asiático até agora. Pelas contas do governo brasileiro, foram contabilizadas 474 mortes nas últimas 24h, um aumento de 10,4%. Este é o recorde de registros em apenas um dia.
Enterro em massa em Manaus, capital do Amazonas  
O secretário de vigilância em saúde Wanderson de Oliveira afirmou, em entrevista coletiva na segunda (27/04), que nem todos os óbitos divulgados aconteceram em um dia. A pasta demora a receber os dados de alguns municípios, que precisam confirmar a causa da morte antes de informar-las ao ministério. Wanderson disse que o sistema está sendo mudado para garantir que as informações cheguem com mais rapidez.
O Brasil tem, ainda, 71.886 casos confirmados desde o começo da epidemia, um aumento de 8,1% nas últimas 24h, o que equivale a 5.385 diagnósticos positivos desde a atualização anterior feita na segunda. As unidades federativas com maior número de casos e óbitos são São Paulo (24.041 e 2.049, respectivamente), Rio de Janeiro (8.504 e 738), Ceará (6.918 e 403), Pernambuco (5.724 e 508) e Amazonas (4.337 e 351). A taxa de letalidade da Covid-19 no Brasil no momento é de 7%.
As informações são do Metrópoles
Antenor Ferreira 

Em lives da TV Antenados em nossa página no Facebook, tenho indagado a Prefeitura de Chapadinha/MA, quanto ações mais incisivas no enfrentamento a pandemia da Covid-19. O município recebeu mais de 1 milhão e 200 mil reais do governo federal. 
Prefeito Magno Bacelar visitando uma das barreiras sanitárias que haviam no município 
Até a noite de ontem (27) foram diagnosticados 16 casos de coronavírus no município, dentre os quais incluem-se o diretor cllínico do hospital macrorregional, Dr. Ronan Nascimento (Veja AQUI). Os números preocupam, assim como a falta de ações do poder executivo. 

A secretaria de comunicação do município nos encaminhou um vídeo onde são destacados algumas das medidas adotadas pela pasta. Nele há o relato do atual secretário de saúde do município, o senhor Eli Monteiro, que afirma que foram gastos incríveis mais de 100 mil reais no período de 23 dias, quando foram montadas duas barreiras sanitárias nas principais entradas da cidade. 

Assista o vídeo que nos foi enviado: 
A cifra chama muita atenção e ficamos a nos indagar se realmente é justifcável tamanho gasto. Também paira no ar a dúvida quanto o destino dos mais de 1 milhão e 200 mil recebidos. 

Hoje entrei em contato com alguns secretários de saúde de municípios distintos, que deram suas oponiões quanto os gastos anunciados. 

Siga nossa página no Facebook (Clique AQUI), que logo mais ás 20h estaremos ao vivo tratando desse assunto, e fazendo novas cobranças. 

Você não pode perder! 
Antenor Ferreira
Em publicação feita na noite desta segunda-feira (27), o prefeito de São Benedito do Rio Preto, Maurício Fernandes (PCdoB), informou a confirmação do 3º caso de COVID-19 no município, que infelizmente se tornou também o primeiro óbito em decorrência da doença.
A vítima é um idoso que foi atendido no Hospital Municipal Cassiana Magalhães, no dia 14 de Abril, com quadro de tosse seca evoluindo para dificuldades respiratórias.
Ele foi encaminhado para São Luís, sendo atendido na UPA do Itaqui-Bacanga e em seguida transferido para o Hospital Universitário Presidente Dutra.
O paciente teve piora clínica, sendo entubado e evoluindo para ÓBITO ontem, dia 27 de abril.
"Reiteramos mais uma vez a necessidade de ficar em casa, em isolamento social, e o uso OBRIGATÓRIO de máscara, caso seja necessário sair de casa. Pedimos a colaboração de todos, comerciantes e principalmente da POPULAÇÃO, para que sigam todas as medidas cabíveis para evitar a disseminação do coronavírus em nossa cidade", declarou o prefeito
Prestamos nossa solidariedade a família enlutada.
Antenor Ferreira 

Uma denúncia enviada a nossa redação (98 98498 4647) na manhã desta terça-feira (28), nos causou revolta. 

Segundo a denunciante que preferiu não se identificar, seu filho recebeu na escola Paulo Ramos, uma das unidades da rede estadual de ensino mais tradicionais de Chapadinha/MA, um "kit" de merenda escolar composto por apenas 3 itens: 1 kilo de arroz, 1 kilo de feijão e um pacote de massa de milho, popularmente conhecido como Flocão. Veja: 
Reprodução WhatsApp 
A escola foi reformada pelo governador Flávio Dino (PCdoB), há pouco mais de 02 anos. 
Pais e alunos estão revoltados.  

A página se coloca à disposição da direção da escola e SEDUC, para esclarecimentos.
Antenor Ferreira 

O município de Chapadinha/MA contabilizou na noite desta segunda-feira (27), 16 casos confirmados de Covid-19. Os 03 casos mais recentes são de um morador da zona rural, que segundo a Secretaria Municipal de Saúde, viaja constantemente à São Luís, para tratamento médico, e um paciente do município de Brejo, que teve o diagnóstico e prossegue com tratamento no município, e ainda o diretor clínico do Hospital Macrorregional, Dr. Ronan Nascimento. 
Foto reprodução TV Baixo Parnaíba 
Em vídeo o médico confirmou que testou positivo para a doença, e que segue em isolamento domiciliar, longe da família, adotando as medidas indicadas pelo Ministério da Saúde. Ele se demonstrou tranquilo e bem de saúde. 

“Estou passando para estimular a todos. Nós vamos vencer esta batalha. Vou voltar com força total para que a gente possa estar tomando a frente dessa luta. Peço a colaboração de todos. Todas as medidas de higiene e precaução individual estão mantidas ainda”, comentou 

Veja no vídeo: 
Abaixo a lista de bairros com números de pacentes infectados no município: 

Santa Luzia – 06 casos
Aparecida – 02 casos
Centro – 02 casos
Terras Duras – 02 casos
Zona Rural – 01 caso

Incluem-se ainda a lista os casos do município de Mata Roma e Brejo, com 1 paciente diagnosticado em cada. 
O governo não conseguiu pagar nesta segunda-feira (27) a segunda parcela do auxílio emergencial de R$ 600, como havia divulgado inicialmente. Segundo a Caixa Econômica Federal, o pagamento depende do repasse de recursos pelo Ministério da Cidadania. As informações são do UOL 
No começo de abril, o governo havia divulgado que o pagamento da segunda parcela começaria nesta semana. Nascidos em janeiro, fevereiro e março receberiam já nesta segunda-feira (27). Agora, a Caixa diz que ainda não existe um calendário de pagamento da segunda parte do auxílio. 

Governo chegou a anunciar antecipação

Na semana passada, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, afirmou em entrevista a jornalistas que o pagamento da segunda parcela do auxílio seria antecipado de 27 para 23 de abril. 

Dias depois, o presidente Jair Bolsonaro disse que o anúncio da antecipação foi realizado sem seu consentimento. Segundo o presidente, primeiro deveria ser paga a primeira parcela para todos, o que ainda não aconteceu. 

Liberação de recursos extras 

Ainda na semana passada, o Ministério da Cidadania afirmou que o governo não conseguiria fazer a antecipação por "fatores legais e orçamentários". A suspensão do pagamento foi recomendada pela CGU (Controladoria Geral da União). 

Na ocasião, a pasta disse que só terminaria de pagar a primeira parcela do auxílio e anunciaria o calendário de pagamento da segunda parcela após o Ministério da Economia liberar valores extras no Orçamento. Na sexta-feira (24), o governo publicou uma medida provisória que libera R$ 25,72 bilhões para o Ministério da Cidadania. 

De acordo com o Ministério da Economia, o valor será utilizado para completar o pagamento da primeira parcela e para a segunda parcela. O governo afirma que foi necessário liberar mais recursos para a primeira parte do auxílio porque o número de pessoas que se cadastraram para receber os R$ 600 foi maior que o previsto. 

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, afirmou que o governo vai definir no início desta semana o calendário de pagamento da segunda parcela.
Tramita na Câmara dos deputados projeto de lei de iniciativa do deputado federal Hildo Rocha que dispõe sobre a destinação, aos profissionais do magistério do ensino fundamental público, de parcela dos recursos recebidos pelos municípios em decorrência de ação ajuizada contra União, transitada em julgado, em virtude de insuficiência de transferências do extinto Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef).

Proposta corrige injustiças

De acordo com o deputado, o projeto de lei tem por objetivo corrigir um grave equívoco originado no âmbito do TCU que prejudica os profissionais do magistério. Rocha argumentou que a lei que instituiu o Fundef garantia que pelo menos 60% dos recursos fossem repassados para o pagamento dos profissionais da educação.
“Em determinado momento o governo federal desrespeitou a lei, repassando aos municípios menos do que deveria. Isso originou ações na justiça, por parte dos municípios que buscavam receber a diferença que a União deixou de repassar. Eu, na condição de prefeito de Cantanhede, entrei na justiça buscando a diferença para os cofres do município. A justiça deu ganho de causa para nós, aliás para todos os municípios. Isso virou precatório, mas na hora de pagar o Tribunal de Conta da União (TCU) entendeu que os professores não tinham direito aos 60% dos recursos pagos por meio de precatórios. Isso é um grave equívoco. Por esse motivo apresentei o Projeto de Lei No 706/2020 que garante aos professores o direito de receberem pelo menos 60% dos recursos oriundos do pagamento de precatórios”, explicou o deputado.

O projeto do parlamentar maranhense determina que o rateio será proporcional ao tempo de efetivo exercício de cada profissional do magistério do ensino fundamental em suas respectivas funções na rede pública durante o período em que ocorreram os repasses abaixo do valor previsto na lei do Fundef.

Veja vídeo: 

Internet de qualidade é com:

Internet de qualidade é com:
Essa uso e indico!

Clique na imagem e confira!

Nos Siga no Facebook

Mais lidas da semana

Ouça a rádio voz de arari!

Arquivo da página